De Segunda à Sexta-Feira das 09h às 17h e Sábado de 9h as 14h

Saae de Barra Mansa substitui lixeiras urbanas

 

Publicado em: 04/10/2018 08:06 | Fonte/Agência: Assessoria de Comunicação

Whatsapp

 

Saae de Barra Mansa substitui lixeiras urbanas

Pesquisas da autarquia indicam que uma lixeira por semana é danificada nos últimos 20 meses

O Saae-BM (Serviço Autônomo de Água e Esgoto de Barra Mansa) investiu cerca R$ 15 mil na compra de 320 novas lixeiras urbanas para o município. A previsão é que nos próximos 40 dias o serviço seja finalizado.

A CRS (Coordenadoria de Resíduos Sólidos) informou que o serviço foi necessário devido ao alto índice de lixeiras danificadas. Do ano passado até o mês de outubro de 2018, 100 lixeiras foram avariadas, sendo que 28 voltaram às ruas após reparos e 72 sofreram danos permanentes. Pesquisas da autarquia apontam que uma lixeira a cada cinco instaladas é vítima de vandalismo. 20% das lixeiras instaladas sofrem ataques de vandalismo, ação que prejudica a população e gera prejuízo que chega a quase R$10 mil por ano.

O diretor executivo do Saae-BM, Fanuel Fernando, enfatizou a preocupação com o vandalismo que gera prejuízo para o município. “São dados preocupantes, porque geram prejuízo onde poderíamos investir em melhorias no tratamento de água, esgoto e limpeza urbana. É importante que todos tenham cuidado com as lixeiras, para que o descarte do lixo seja da forma correta, auxiliando o embelezamento visual e prevenindo entupimento da rede pluvial e alagamentos”, afirmou Fanuel.

A autarquia ressalta que a consequência da prática de vandalismo resulta no entupimento de caixas de sarjetas e bueiros em ruas, praças e avenidas, provocando alagamentos e enchentes, entre outros transtornos como transmissões de doenças como Leptospirose, resultante da exposição direta ou indireta à urina de animais infectados, por meio do contato com água. Além disso, com o descarte irregular, o lixo tende a se espalhar, contribuindo para a proliferação de vetores.

Quem comete ato de vandalismo pode ser enquadrado no artigo 163 do Código Penal que responsabiliza quem destrói, inutiliza ou deteriora patrimônio de município ou de autarquiacom pena de detenção de um a seis meses ou multa. Denúncias podem ser feitas pelo telefone de emergência do Saae – 115.